SÃO CARLOS: Estudante que atropelou idosa é solto após pagar fiança de R$ 19 mil

Estudante que atropelou idosa é solto após pagar fiança de R$ 19 mil - Rapaz voltava bêbado de festa da Tusca; ele responderá por homicídio culposo

    • EPTV
    • /
    • Fernando Bertolini
Baixe o Adobe Flash PlayerBaixe o Adobe Flash Player

Atualizada às 20h08

O estudante de mecatrônica da Uniara Ewerton Diego Gonçalves, de 23 anos, foi liberado na tarde deste sábado (17) após pagar fiança de R$ 19 mil. Ele vai responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, pelo atropelamento e morte de uma idosa de 82 anos durante a manhã na Vila Marcelino, em São Carlos. De acordo com a polícia, ele dirigia embriagado e admitiu que voltava da Taça Universitária de São Carlos (Tusca).

Os 35 salários mínimos foram pagos e o estudante foi solto por volta das 14h, após ficar apenas oito horas na delegacia. De acordo com o delegado que investiga o caso, o rapaz responderá por homicídio culposo ao volante, cuja pena varia de dois a quatro anos de prisão, e por dirigir embriagado, que tem pena de seis meses a três anos de prisão. Como ambos os crimes não prevêem pena superior a quatro anos, com base na nova lei 12.403/2011, o rapaz tem direito a pagar fiança e responder em liberdade.

Veja fotos do acidente

Testemunhas disseram que o universitário fugiu sem prestar socorro à vítima, mas foi reconhecido e preso pela PM logo depois, porque mora próximo ao local do acidente. "Ele estava com os olhos vermelhos, fala alterada, odor alcoólico e confirmou que estava na festa da Tusca e que ingeriu bebida alcoólica", disse o policial militar Vagner Rodrigues.

Gonçalves se recusou a fazer o exame de dosagem alcoólica, mas um legista confirmou que ele estava embriagado.

O delegado disse que o rapaz confessou, em depoimento, ter atropelado a idosa, mas que ligou para o resgate minutos depois do acidente, o que foi confirmado pela polícia.

O advogado defesa, André Quatrochi, disse que ele e a família do estudante não vão comentar o caso.

O assessor de imprensa da Tusca, Samuel Prisco, disse que a organização disponibilizou ônibus para todos os estudantes voltarem para casa após a festa e que a informação sobre as linhas estava no site do evento.

Morte

O acidente ocorreu às 6h30 em frente a uma padaria na Rua Vicente de Carvalho quase no cruzamento com a Raimundo Correa. A vítima, Rosa Buzzo Zucolotto (foto ao lado), foi atingida enquanto andava pelo meio fio para desviar de um poste. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A suspeita é que o estudante dirigia em alta velocidade. O veículo deixou marcas de pneus no chão por 20 metros.

No carro do jovem havia marcas de sangue e o para-brisa estava danificado. No banco da frente foi encontrado uma caneca da Tusca, usada para servir bebida.

O gerente de transporte Joaquim Moraes foi o primeiro a prestar socorro. "Muito triste e ver que a pessoa evadiu-se, não prestou socorro, nada. Isso é mais triste ainda", lamentou.

Os parentes da vítima estão indignados. "Quando alguma pessoa está doente, você espera que essa pessoa pode vir a falecer, mas quando é um acidente assim, o sentimento é de muita dor. A gente pede para as pessoas tomarem consciência de que álcool e direção não combinam", disse o neto da vítima Éder Carlos Zucolotto.

A idosa está sendo velada no Cemitério Nossa Senhora do Carmo, onde deve ser enterrada no domingo (18), às 9h.

Tusca

Desde a abertura da Tusca, na quinta-feira (15), essa foi a segunda morte relacionada ao evento. Na noite de quinta, Bruno Cristiano de Oliveira, de 23 anos, participava do Corso, trio elétrico que percorre ruas da cidade, e morreu atropelado pelo caminhão que vendia bebidas. A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) investiga se uma briga pode ter causado o acidente.